10.7.10

Portugal no seu Melhor

Um amigo mandou-me este livro, publicado mesmo agora.
Em 1978 6 amigos fogem de Luanda para Portugal num S&S 41 chamado Tartan.
Sem motor , sem electricidade, sem luzes , sem instrumentos de navegacao , sem cartas nauticas , sem dinheiro , cobriram mais de 4500 milhas entre Luanda e Portimao em coisa de 3 meses.
Le-se em poucas horas e nao vai ganhar nenhum premio literario mas 'e uma historia fantastica de uma aventura 'epica .
Vi a escala em Monrovia como se estivesse a ver um filme , dei voltas 'a cabeca a pensar nas questoes e metodos de navegacao deles , imaginei bem os momentos de tensao entre a tripulacao , os que eles contaram e o que deixaram por contar , e fiquei com curiosidade para saber o que se passou depois da chegada a Portimao , mas nunca vou saber. Gostei tanto que ate' lhes perdoo terem visto um albatroz quase ao pe' do Equador....

Este livro entra directamente para os Classicos da literatura nautica nacional , toda a gente que gosta de Mar , viagens maritimas e aventuras deve le-lo.

2 comentários:

Conde disse...

Um deles morreu de doença, os outros andam por ai. Pode ser que uma dia ainda venhas a saber o que se passou depois da chegada a Portimão, o mundo é tão pequeno.

trigolimpofarinh@mparo disse...

Estou a ver, temos marinheiro.

Desde puto sempre fui muito ligado ao mar, sempre pelo surf. O inverno passado fiz um curso de vela no Tejo e num certo dia de nortada saimos direitos ao Bugio; o mar estava picado e era ver-me de pé, ao sabor das vagas, a delirar enquanto certos alunos burravam-se de medo. Muito bom, a repetir.

E sim, histórias do mar, desde o Moby Dick, é um vicío.

Abraço marujo.