16.7.11

Economia Caprina

Anteontem contava a um agricultor e criador daqui o meu critério para ter gado : não quero nada que seja mais forte que eu. Uma cabra com o amok pode dar trabalho , mas controla-se , tal como uma ovelha , mas uma vaca já não , pelo menos por mim . Uma vaca come tanto como 3 ovelhas ou cabras , mais ou menos , de onde decorre que eu podia ter 2 vacas em vez do que tenho , e as vacas são muito mais rentáveis . Serão mais rentáveis mas precisam de ser ordenhadas duas vezes por dia , e há muitas coisas que estou a aprender e quero aprender na agricultura , ordenhar não é uma delas . E depois não posso meter uma vaca na bagageira do meu carro (ou numa arca congeladora…) como posso meter uma cabra ou ovelha . Além do mais se é coisa que não falta neste arquipélago são vacas , nesta ilha há umas 3 por habitante , e os laticínios só me interessam do ponto de vista do consumidor. E também nunca apreciei muito vacas como bicho , enquanto sempre tive certa simpatia pelas cabras , especialmente montesas , que não há cá , e pelas ovelhas. Acho-lhes piada.Por exemplo , das 3 ovelhas , que vieram do mesmo rebanho e têm todas mais ou menos a mesma idade , há uma que não se assusta nada e come à minha mão enquanto que as outras duas começam aos saltos e fogem como podem quando lhes vou dar comida ou mudar de sítio . Acho interessante , especialmente porque sem ser por isso não as distingo e sempre levaram todas tratamento idêntico. Outra observação animal : oferecam-me uma galinha com 8 pintos , que andava à solta. Apanhei 4 , fiz um galinheiro e instalei-os. Passados 15 dias concluí que só queria duas galinhas , se elas me puserem um ovo por dia cada uma , ou dia sim dia não , chega perfeitamente , só as quero para os ovos porque prefiro pagar 3 Euros ou quê por um frango do que ter que matar e amanhar um.Até porque não sei, matar é fácil , como está provado sobejamente , limpar e amanhar é outra coisa que não pretendo aprender. Passados então esses 15 dias levei de volta os outros dois pintos , e a mãe e os irmãos já não querem ter nada a ver com eles, não os conhecem.Em apenas 15 dias , mas também temos que reconhecer que as galinhas são das criaturas mais estúpidas que existe.

Uma das cabras estava para parir a qualquer momento e ontem de manhã encontrei um cabrito nado morto , nunca é uma boa maneira de começar o dia. Além de ser sempre triste há o problema da cabra estar cheia de leite destinado à cria , e é muito mau retê-lo , podem ganhar todo o género de infecções .Acontece que o problema se resolveu sozinho por uma feliz , ou infeliz , coincidência. Há um casal alemão que mora não muito longe ( aqui nada pode ser muito longe…) que tem cabras e faz um queijo superior , e acontece que lhes tinha morrido uma cabra leiteira .Um amigo comum lembrou-se de mim , e assim levaram duas cabras ,vão tomar conta delas , alimentá-las e dão-me um queijo de vez em quando. A frequência do “de vez em quando” está por estabelecer , mas se me derem um queijo de 15 em 15 dias até ao fim do ano já as cabras se pagaram à vontade , e assim não tenho que me preocupar com elas. E claro que a concessão das cabras não inclui os cabritos futuros , que são para mim.

O dia começou em baixa mas concluiu-se bem , num daqueles acordos e desenlaces que serve a todas as partes , incluindo as próprias cabras.

Essa na foto é a mais pequena e é para ficar , está quase para ter nome e tudo.



1 comentário:

Isa disse...

Adorei, mesmo.
Tou aqui a torcer pra que dê tudo certo, é uma delícia ler estas aventuras no campo :)
Bjos