4.8.11

Ciência e Fé

Anteontem a terra tremeu no Faial , como de resto faz de vez em quando no Arquipélago. Não houve danos nem grande susto , mas tremeu .
Nos primeiros tempos da povoação do Grupo Ocidental os colonos passavam primeiro pelos outros grupos para chegar aqui , e os poucos contactos que havia depois eram também com o resto do Arquipélago e raros com o Continente , pelo que a possibilidade e frequência dos abalos sísmicos era bem conhecida. Durante séculos a compreensão e prevenção dos sismos era simples : De alguma maneira ofendemos a Deus , pelo que isto é um castigo , e contra isso há que construir igrejas e capelas e intensificar a devoção para que Deus tenha misericórdia de nós.
Sucede que nas Flores não há memória viva nem escrita , só há memória geológica , de abalos de terra e erupções vulcânicas , e sem querer estar a dizer uma enormidade acho que as últimas foram há umas centenas de milhares de anos pelo menos. Ora isto não se deve à rectidão moral dos Florentinos , à sua devoção extremosa nem à misericórdia divina , deve-se simplesmente à localização e aos mecanismos da placas tectónicas , desconhecidos até ao século XX .
O Arquipélago dos Açores deve a sua existência geológica e a sua actividade sísmica e vulcânica ao facto de estar na junção das três grandes placas Atlânticas : a Europeia , a Africana e a Norte Americana , como se vê nesse esquema. A Madeira é livre de sismos porque está sobre a Placa Africana ( inserir piadinha racista e mesquinha) , os Grupos Central e Oriental tremem e fumam porque estão mesmo em cima da falha , as Flores e o Corvo estão firmemente sobre a placa Norte Americana . Isto não abana mais , ou pelo menos as probabilidades são ínfimas quando comparadas com o resto do Açores , e isso é outro ponto de excepcionalidade desta ilha.
Com certeza que se isto fosse sabido em 1600 e tal as pessoas tinham tido menos fé na intervenção divina , sentido menos a necessidade de aplacar a Deus e de Lhe agradecer o privilégio da estabilidade da terra , com todas as consequências disso.

Sem comentários: