23.3.12

Electricidade


O projecto da minha casa tem tido alterações ao longo dos anos mas as características principais mantêm-se , entre elas ter uma uma instalação eléctrica autónoma , de 12 Volts , em vez de ligado à rede com 220V . Um sistema como se usa nos veleiros , um banco de baterias que se carrega com energia solar, eólica ou a velha e boa combustão interna por meio de um alternador. Usam-se inversores de corrente para usar aparelhos de maior potência e o sistema tem muitas vantagens , a mais óbvia é a independência da EDP , EDA ou de qualquer outro fornecedor de electricidade que no futuro possa andar aí.

As limitações , se não quisermos ou pudermos investir num sistema grande, são no uso de electrodomésticos e aparelhos de consumo elevado . Felizmente tenho acesso a electrodomésticos necessários como uma máquina de lavar roupa ou uma televisão quando preciso sem ter que os ter em casa e outras comodidades como uma varinha para passar a sopa ou um frigorífico podem perfeitamente trabalhar a 12V , tal como todas as luzes necessárias e aparelhos de música , computadores e agora não me ocorre mais nada que faça falta , funciona tudo bem a 12 V.

Outra desvantagem em relação à rede pública é que é necessária manutenção do sistema , não basta ligar à tomada e pagar ao fim do mês. As baterias , ligações e principalmente a "ventoínha" , requerem atenção e manutenção especialmente num sítio como este , onde não é raro soprarem rajadas de 90km/h , como ontem e anteontem ( ambos os meus barómetros caíram até bater no fundo , não estão bem calibrados mas uma queda assim é uma coisa tremenda de se ver) . Existe precisamente a questão da localização e da necessidade de compensar períodos de geração de energia com pausas, porque aqui apesar de não parecer há dias em que não mexe uma folha , e cada sítio tem que fazer estas contas.
Além do valor que não tem preço de estar independente da rede , e do valor que tem preço , para quem o quiser calcular , de não emitir poluentes , há que fazer a comparação dos preços reais , porque ninguém me vai oferecer o gerador e as baterias , eu não tenho Parceria nenhuma com o Público

Há uns meses a Câmara abriu uma vala de uns 30 metros da minha propriedade à estrada e ligou-me à rede pública de água . Aproveitei para enterrar um tubo largo de pvc com uma guia para que se no futuro eventualmente quisesse ligar-me à rede eléctrica evitava fios pelo ar e já estava o trabalho feito. Pedi um orçamento à EDA , estou muitíssimo curioso para conhecer os custos do contador , do projecto , do registo , e da própria instalação . Depois desses vem a factura mensal e uma relação com uma grande empresa , a burocracia gerada e o poder que lhes dou. A partir daí , seja por intempérie , seja por incompetência ou engano seja por minha falha em pagar a conta ,a EDA tem o poder de me cortar a electricidade , e outro que usa mais frequentemente , de cobrar mais do que a electricidade vale , como acontece em Portugal inteiro . Obriga-me a pagar mais impostos , porque da factura total 44% ( do Expresso) são "custos de política energética e de interesse económico geral". Não sou contra esse poder e esses custos , mas se puder não me sujeitar a ele nem os pagar , prefiro. Ainda não sei o custo todo do sistema eólico nem tenho uma estimativa decente da factura média da EDA , mas em breve já tenho os dados todos e posso decidir.

Estas contas e ponderações são interessantes de aplicar num caso práctico como o meu numa altura em que discutimos as rendas da EDP , a política energética nacional , as questões ambientais e as energias renováveis e aplicação e impacto real na vida das pessoas.

3 comentários:

Rui Silva disse...

Na semana passada no AKI uma "ventoinha" dessas estava em promoção por 300 E

Anónimo disse...

Disseram-me há 2 semanas que se quisermos por ventoinhas e painéis solares , mais baterias, e deixar a EDP é proibido. Parece que temos de vender a electricidade captada à EDP e recomprar depois...

Não sei se é verdade, mas parece absurdo.

Antoino

Jorge Ventura disse...

Rui ,já estou à procura dessa promoção , se for = ou maior que 300W parece-me bom negócio

Tó , o site da EDP explica como é que funciona essa roubalheira da co-geração e micro geração e como é que podes vender electricidade à rede com prejuízo para todos os outros consumidores e contribuintes . Podes ver a parte da microgeração aqui:

http://www.microgeracaoedp.com/

Quanto a ser proibido deixar a EDP , não só me parece absurdo como ilegal.