20.6.12

Trabalho cá e lá


Os Europeus do Norte ultimamente andam  mais dados ainda a acreditar que nós trabalhamos menos que eles e que aqui em baixo é uma vida airada. É de facto uma vida muito mais airada que a deles , não só por causa do clima que nos permite passar muito mais tempo na rua mas porque  o modo como nos relacionamos com as famílias , os vizinhos e os amigos dista muito ( para melhor , digo eu)  do deles.
Não é verdade que trabalhemos menos que eles , já sabemos que o Português passa mais tempo no seu posto de trabalho que o Alemão , e em geral trabalham-se horários mais longos. O problema está na produtividade , trabalhamos mais mas trabalhamos pior. Somos desorganizados e em geral pouco preparados , do Estado aos privados e dos gestores aos operários mais básicos. A falta de Educação em geral é um handicap que já nos vem de muito antes da Ditadura ,  que  só o  infectou ainda mais. Queremos funcionar tão bem como a Suécia ou a Inglaterra , que erradicaram o analfabetismo há mais de um século , quando nós só começamos a pensar em Educação para Todos com o 25 de Abril. . Temos centenas de milhar de analfabetos puros e milhões de analfabetos funcionais , pouca gente parece perceber o peso enorme disto e , pior , a evidência de que não há remédio rápido , um atraso de gerações só se recupera em gerações .

Muito vezes ralho com a ineficiência do Estado mas o exemplo que trago aqui é do sector privado , e para mim é muito elucidativo das diferenças de métodos de trabalho e do que nós podemos esperar da nossa economia:
 
Estou a instalar uma microcervejaria , na sua versão mais recente envolve equipamento para fazer 400 litros de cerveja de cada vez . Tenho um sistema destes , de fabrico inglês , “apalavrado” , mas também  pedi orçamentos a fábricas portuguesas , uma em S.Miguel outra no Continente , especializadas em serralharia inox para o sector alimentar. Preferia naturalmente manter o meu investimento em Portugal , se fosse na Região melhor ainda , e precisava de um termo de comparação e de saber se era possível. 
Enviei por email para ambos um diagrama , uma memória descritiva extensa, fotos , medidas e especificações , pedindo-lhes primeiro que me dissessem se o podiam fazer e depois por quanto , em valores aproximados.  Depois de 3 dias sem qualquer resposta  telefonei a ver se tinham recebido o email , que sim , iam tratar do assunto. Isto foi dia 3 de Junho e nunca mais ouvi palavra , nem de um nem de outro . Não sei se a carteira de encomendas está tão cheia que podem descartar assim uns 15 mil euros de trabalho , não sei que concepção têm eles (logo os dois , para não se dizer que estou a generalizar de graça) da importância dos seus clientes , não sei se fecharam para férias ou se alguém morreu , mas para mim é caricato e para um Americano ou Alemão é inconcebível que uma firma não responda a um pedido de informação de um possível cliente. Em Portugal é normal , e isso não é culpa dos políticos. 
 
Depois desse equipamento ( que espero comprar em Inglaterra , onde sou tratado como um potencial cliente e não como uma maçada) preciso naturalmente de garrafas para o produto.Calcorreei a Internet as páginas amarelas e os únicos fabricantes nacionais que vendiam garrafas de cerveja (do tipo Super Comum)  só vendiam aos camiões delas. Perguntei por garrafas num dos grupos do linkedin , e indicaram-me uma empresa Alemã . Passei um tempo no site , vi o que queria e pedi uns preços. Passada uma hora tinha um email de volta , e esse email tornou-se numa sequência de 19 ao longo de vários  dias em que me esclareceram tudo e enviaram toda a informação e documentação , amostras pelo correio , facturas pro forma e especificações técnicas das garrafas , que naturalmente entregavam onde e no dia em que eu quisesse . No fim tive que lhes dizer que a encomenda tinha que ser suspensa porque ( por outras palavras) agora não tenho dinheiro. Responderam-me com uma cortesia impressionante , o meu pedido fica suspenso , para qualquer coisa é só ligar. Uma empresa com mais de 100 anos que fornece grandes cervejarias e adegas da Europa, que vende aos contentores de garrafas , trata assim um tuga que queria três paletezinhas.

Uma pessoa é exposta a estes dois métodos de trabalho e tem que tirar conclusões.

Sem comentários: