3.1.13

Mais a frio , é certo  que a responsabilidade da minha situação é  naturalmente   minha . De nada me adianta reclamar contra isto e aquilo , a informação está toda disponível há muito tempo para quem queira saber  como funciona a Segurança Social e ninguém me obrigou a fazer as escolhas que fiz ao longo dos anos.
Também é verdade que no fundo eu não sei nada sobre a Segurança Social . 
Tenho umas ideias de ouvir e ler umas coisas de pessoas a cuja opinião dou crédito . Admito a minha ignorância e talvez algumas  críticas que fiz sejam mal fundamentadas. Há quem saiba  muito sobre isso e diga que o nosso sistema de segurança social é justo e sustentável , que com as reformas feitas e em curso os Portugueses podem continuar a contar com reformas e apoio social no futuro . Tendo em conta a demografia portuguesa e o facto de o Estado ter falido em 2011 isto parece-me improvável , mas acreditemos nos políticos da nossa preferência ,  desde o PP ao BE não há nenhum que nos diga “O sistema é insustentável e não podemos garantir benefícios futuros a contribuintes presentes” , todos têm no seu programa , objectivos e discurso a manutenção da Segurança Social nos moldes gerais em que a conhecemos. Naturalmente que à maioria das pessoas que trabalham directamente na Segurança Social ( as que por definição conhecem a questão a fundo) não lhes interessa  uma reforma profunda do sistema , e aos responsáveis políticos , que também têm obrigação de conhecer a questão a fundo , interessa-lhes serem  eleitos nas próximas eleições , ou pelo menos assegurar a própria reforma , coisa muito mais simples  ,  rentável e garantida para eles . Quem parte e reparte e não fica com a melhor parte ou é burro ou não tem arte , às vezes dá-me a impressão que os ditados populares  condensam  tudo o que uma pessoa precisa de saber sobre o Mundo.

A senhora que esta manhã me fez a conta nos serviços da Segurança Social a certa altura telefonou para outra repartição  para esclarecer uma dúvida. Na conversa com a colega chamou-me  “beneficiário” e eu antes de me ir embora perguntei :
“ A senhora referiu-se a mim como beneficiário ,  eu sou beneficiário de quê?”
Depois de uma ligeira hesitação referiu-se sem convicção nenhuma a uma hipotética reforma futura. 
"acha mesmo que daqui  25 anos vai haver reformas?"
 "Isso é uma carta fechada.....e há também o acesso à saúde , se fica doente, tem os cuidados de saúde...." 
Eu de facto sou beneficiado por o Estado comparticipar a minha  medicação  , e  ter um centro de saúde e um médico relativamente acessível é um grande benefício social , sem dúvida . Fui-me com aquela mas fiquei a pensar que não seria bem assim , porque implícita na minha pergunta estava a questão: o  dinheiro que eu pago aqui vai para onde onde , que benefício obtenho eu , em particular ,  desta contribuição? Fui ver os sites da Segurança Social e do Sistema Nacional de Saúde para ver se me esclarecia .  Agora arrisco-me a dizer uma enormidade e espero que se for assim alguém me corrija , mas parece-me que o Sistema Nacional de Saúde depende do Ministério da Saúde e é financiado por este , e o Sistema de Segurança Social é outra coisa distinta. Fui ver o OE , está aqui . Não são as contribuições para a Segurança Social que financiam a Saúde e  as contribuições para uma não podem estar relacionadas com a outra ,  mas a senhora que me atendeu e analisou o meu caso aparentemente não está a par disso. A começar por mim , ninguém sabe bem o que é que anda aqui a fazer.

Sem comentários: