19.4.13

Braço de ferro


Visto daqui , parece-me que os escravizados da SATA não se conformam com a crise que assola Portugal e como,   ao contrário da esmagadora maioria dos Portugueses, têm o poder de causar transtornos , problemas e prejuízos imensos parando de trabalhar ,  decidem fazer esta chantagem : ou nos tratam como uma excepção e salvaguardam as nossas condições e remunerações , ou há greve. Desta vez deita-se pela janela qualquer réstia de vergonha e respeito pelas pessoas que supostamente servem  e marca-se a greve para os dois pontos altos do turismo Açoriano , os períodos em que a Região consegue realizar mais receitas , completamente dependentes do tráfego aéreo: o Rali dos Açores , onde as Ilhas brilham nos ecrãs mundiais dos desportos motorizados   e S.Miguel atrai milhares de profissionais e adeptos , e as festas do Senhor Santo Cristo , as festas mais importantes dos Açores , a altura que os imigrantes escolhem para regressar e visitar a sua terra e quando há maior movimento em todo o Arquipélago. 

Uma dúzia de dirigentes sindicais profissionais decidem fazer isto , aproveitam o clima de descontentamento geral ,  pretendem falar por todos os trabalhadores da SATA e sem o mínimo problema de consciência ameaçam inviabilizar o Rali dos Açores e destruir as Festas do Santo Cristo , com prejuízos de milhões para a Região e os transtornos do costume para os Açorianos. O porta voz do sindicato , confrontado por uma jornalista da A1 com o desagrado profundo que esta , sobretudo esta,  greve está a provocar na opinião pública , diz que "a opinião pública esta a ser informada em todo este processo com “meias verdades” e refere que a não se chegar a um consenso nesta matéria vai haver “efeitos negativos” para a estabilidade operacional do próprio grupo. Infelizmente não nos consegue esclarecer sobre as verdades completas , que não se esticam muito para além da recusa de um corte de 5% nos salários , e é curioso que admita que a sua acção vai ter efeitos negativos na estabilidade da empresa. Efeitos negativos na empresa , na região e na vida das pessoas , e se  daqui a um ano as coisas ainda estiverem piores ,  a SATA encolher para metade e tiver que por no olho da rua metade dos empregados , como não é difícil de imaginar , o sr . Prieto do sindicato vai manter o seu posto de trabalho precisamente por ser sindicalista. 
Entretanto  a administração e o Governo Regional têm que escolher , ou cedem e continuam fieis  ao precedente e subservientes à ditadura dos sindicatos , ou dizem-lhes "vá , acabem com o Rali e as Festas e causem milhões de prejuízo a quem vos emprega , mas o tempo da chantagem acabou , não cedemos mais. Estou sempre à espera de um "momento Thatcher" , ou à falta disso uma requisição civil , mas a minha aposta é para um "consenso" , toda gente salva a face , encontram-se a meio caminho e cá estará o utente e contribuinte para continuar a sustentar este pessoal todo.

Sem comentários: