21.4.13

É o diabo

No que toca a relações românticas a internet é o diabo , como sabe toda a gente que cresceu antes da rede ser comum , generalizada e normal . Desde o processo que leva duas pessoas a conhecerem-se até à maneira como as relações acabam , passando pelo dia a dia das mesmas e acabando com os problemas depois de morta a coisa , a internet mudou tudo. Isto não é novidade nenhuma nem vou estar aqui a desenvolver o tema , só falo nisto porque o uso da rede me fez a vida um bocadinho negra nesse aspecto. 

Dantes , quando uma relação seguia o seu curso natural e morria , cada pessoa seguia o seu caminho e a maior parte das vezes perdia-se o contacto, condição a meu ver fundamental para enterrar decentemente os erros e sua história. Hoje a net permite aos desgraçados obsessivos continuar se não em contacto pelo menos “à vista” , mesmo que separados por milhares de quilómetros. Toda a gente mais o cão tem uma página no facebook, promove-se profissionalmente no linkedin , manda umas bocas no twitter , publica fotos no instagram e alguns mais prolixos mantêm blogs, tudo isto mais ou menos acessível a toda a gente. Além disso o google pode-nos mandar em viagens doentias se começarmos a pesquisar a informação disponível e as referências à pessoa que nos interessa. 

 Depois de 3 anos sem trocar uma palavra recebi no Verão passado notícias da minha ex namorada , parecia uma coisa normal, de gente adulta , a nossa vida naturalmente continuou , eu tinha encontrado uma espécie de equilíbrio e já não lhe desejo  mágoas que se comparassem e idealmente superassem as minhas nem fantasio  com a altura em que o marido se ia revelar um jogador alcoólico cocainómano abusivo , gordo , mulherengo e desempregado . O gajo deve ser um tipo impecável, apesar da cara de parvo , e eu senti-me bem porque ao fim de tanto tempo honestamente já só desejava que ela fosse feliz , achava que esta comunicação retomada era sinal de que a coisa estava resolvida. Escrevi-lhe uns emails sobre a vida aqui na ilha , ela contava-me sobre a vida dela , partes selectas de ambos os lados , nem eu lhe dizia que às vezes o cão não é bem toda a companhia que eu gostava de ter nem ela me contava sobre as alegrias da vida familiar. 
Claro que da minha parte o processo não está arquivado e chegado aqui já duvido que alguma vez vá estar. Ontem fiquei a saber que está à espera do segundo filho e imersa em felicidade conjugal enquanto o futuro se abre radioso seja por que lado for que se olhe.Não partilhei da felicidade dela , não sei se é este Inverno tenebroso , o estado do País , se é por ter chegado a meio da vida e ver mais falhanços que triunfos , a verdade é que não tive alternativa senão embriagar-me e sentir pena de mim próprio , coisa que é um bocado degradante ( a pena , não os copos) mas às vezes acontece. 

Cheguei a casa , sentei-me muito zangado ao computador e esta manhã dei graças por não ter internet em casa, porque se tivesse tinha publicado aqui três páginas intituladas “Que Rebente Tudo” , em que concluía que Portugal está perdido e eu com ele , insultando pelo caminho tudo o que mexe e muitas coisas que não mexem , incluindo esta ilha , e terminando com a esperança de que o PCP ganhe as próximas eleições , com o meu voto , que nos tire do Euro e lance na miséria que merecemos como Povo e Nação. Como me tinha estado a embriagar num estabelecimento com televisão tinha umas críticas mais frescas , passei depressa das dores de coração e outros lamentos patéticos para uma invectiva generalista : 

 (…) Vivo num país que inveja sempre, sempre , o sucesso mas que dificilmente sabe como atingi-lo sem ser à sombra do Estado. Em que “a falta de apoios” é causa aceitável para o fracasso e ninguém nunca se dá ao trabalho de parar para pensar se será mesmo boa ideia , desde que haja dinheiro do Estado para a concretizar. Que vossa graça nos faça uma mercê, é assim há 600 anos , pelo menos. Estoirem , mais as vossas criancinhas do rendimento mínimo de tenis CR7 , os vossos desempregados que pesquisam ofertas de trabalho no iphone e em cuja mesa nunca falta a coca cola , os vossos artistas incompreendidos e sub subsidiados , os vossos atletas de alta competição e baixo rendimento, os vossos senadores senis , parasitas eternos do Estado , os vossos jotinhas da fábrica de políticos que operam no vácuo e por imitação , os vossos programas de televisão que envergonhariam um mexicano do século passado , as vossas crónicas de merda sobre os espargos gratinados com molho de nozes pecan que se podem agora comer num selecto restaurante da Madragoa , os vossos comentadores que comentam tudo tudo excepto a parte em que estão metidos , as vossas celebridades da tanga que ganham a vida a estar presentes numa discoteca por 500E, pelintras iletrados que se acham estrelas , os vossos cantores que cantam em Inglês com o Inglês que aprenderam no 9º ano e na MTV , rebentem , com as vossas queixas do consumismo quando vocês não querem nada, nada senão consumir mais e melhor. Porque vocês merecem , como dizia um dos slogans publicitários mais odiosos de sempre. Vivo num país no qual a maioria vê programas de televisão que consistem em fechar galdérias e grunhos semi analfabetos numa casa e filmá-los enquanto lhes acicatam a líbido , 24 horas por dia. Em que a classe política discute se são 36 ou 48 anjos a poder dançar na cabeça de um alfinete, quando não há alfinete . Em que as estruturas da administração pública pensam antes de mais nada em manter-se , e só depois, em sobrando tempo e recursos , em administrar a República. Rebentem os jornalistas que acham que o que interessa é o que interessa aos outros jornalistas e assim funcionam em círculo  fechado, de diâmetro curto.  Estoirem os bloggers de esquerda e direita que são oh so clever e que passam os dias imersos na própria importância , vivem dentro de computadores a reverberar as próprias opiniões e as dos amigos , a alimentar-se só e apenas nas manjedouras doutrinárias onde são despejadas doses diáras de preconceito. Liberais que peroram contra as escolhas individuais sobre o próprio corpo , esquerdistas que ignoram a liberdade individual , fodam-se todos. O blog mais lido deste país é o de uma gaja a falar sobre estilo. Estilo, senhores , escrito em fraco português sobre a cor das saias e os últimos cremes para a pele , e o público , tendo nas suas mãos a tecnologia e instrumentos para aceder a toda a informação e conhecimento produzidos pela Humanidade , escolhe ler sobre roupa e festas e resorts . E há sempre que polvilhar o discurso com fashion workshop upgrade lifting management outsource style take away happening performance , pindéricos de vocabulário atrofiado que nunca publicaram um livro mas que nem por isso se inibem de dar “workshops” de “escrita criativa”. Se não sabes fazer , ensina. Ó pá estão todos bem uns para os outros. Aliás , ESTAMOS , que eu faço parte desta merda , sou daqui , este é o meu País e arrosto com as misérias vastas e as glórias escassas como qualquer outro tuga . Estou aqui , gramo com isto , sofro com isto por isso ralho com isto , mesmo com a consciência de que contribuo para a mediocridade geral . A todos os que bazam , boa sorte e felicidades , é das coisas mais Portuguesas que se podem fazer na vida , mas poupem os que ficam às vossas moralizações e constatações básicas e provincianas sobre como tudo funciona melhor noutros sítios e como isto é uma choldra. É , é uma choldra , outros melhores do que nós já constataram isso há muitas décadas e tudo permanece absolutamente igual. E vocês , americanos , síntese bastardia da baixa Europa como dizia o Poeta , que por alguma razão ou gremlin informático aparecem em grande peso entre os leitores destas patacoadas , não perdem pela demora porque vai chegar o ponto em que as impressoras de dinheiro forçosamente deixam de resolver o problema , o problema da concupiscência eterna e galopante que equaciona felicidade com posse. Quanto às mulheres , tudo o que aprendemos com os nossos amigos no 7º ano é verdade , só escapam as mães e irmãs. Põe lá isto tudo no tradutor automático e bom proveito . 

Fazia ainda votos de que este Verão pelo menos um furacão fustigasse uma zona particular da Costa Leste , depois de ser assolada por motins raciais e tiroteios em jardins infantis e que alguns dos medos recorrentes das mães obsessivas se concretizassem em determinado caso ,enfim , uma coisa um bocado vergonhosa e muito ressabiada  ,  e declarava solenemente que este blog se ia dedicar exclusivamente às ovelhas insulares , ia acabar de vez o pretenso comentário político e o chico espertismo em geral.Havia muitas partes que me iam deixar a arrepelar os cabelos se tivessem sido publicadas mesmo que as eliminasse logo na manhã seguinte e ainda bem . 
Por isso , e voltando ao princípio , a internet é o diabo , e um gajo bêbado ligado à net pode causar danos sem fim , especialmente a ele próprio.

4 comentários:

António Matos disse...

;) muito bom.

Isa disse...

opá adorei o post, JV, adorei :)
Beijinhos

Rui Silva disse...

È nos momentos azedos que a realidade passa a ser verdade.

Anónimo disse...

Uma bomba na nossa tromba!