18.4.13

Liberalizações

Não quero que pareça que agora vou fazer disto uma causa , que tenho algum interesse na matéria além daquela ideia parva e rebuscada que toda a gente deve ter os mesmos direitos .Os únicos gays que eu conheço já não vejo há quase uma década e se o debate se faz com  confrontos de rua em França  pelo menos em Portugal está encerrado , mas ainda assim gostava de ver respondida a seguinte pergunta : se dois homens ou duas mulheres vêm a sua união reconhecida pelo Estado , isso prejudica quem , e como?

Nas discussões sobre o que se deve liberalizar e o que se deve restringir sou muito adepto daquele que me parece o critério mais simples : causa dano a alguém? Limite-se .Não causa dano a ninguém? Liberalize-se . É por isso que defendendo por exemplo a liberalização das drogas compreendo e aceito as objecções , porque pode de facto haver danos envolvidos , defendo-a porque acho que as vantagens superam largamente os inconvenientes . Já na economia está visto que uma liberalização total prejudica pelo menos os mais ignorantes , desqualificados  e desfavorecidos ,   e não sendo adepto do darwinismo social acho que tem forçosamente que haver restrições e condicionamentos às actividades económicas para proteger essas pessoas .  Já a história do casamento gay me faz mais confusão porque continuo sem perceber quem é que pode ser prejudicado. Falar sozinho tem vantagens mas também tem inconvenientes , tipo quando se faz uma pergunta que se gostava mesmo de ver respondida...

Sem comentários: