5.5.13

Obras

Qualquer obra de construção precisa de um plano , um sítio acessível , meteorologia tolerável , materiais , mão de obra e dinheiro . A minha obra nunca reuniu estas condições todas ao mesmo tempo , e é por isso que em vez de demorar o mês que normalmente levaria se tivesse tudo disponível , vai em dois anos mas já com fim à vista .
 Em vez de um plano e um projecto eu tinha uma visão , e é sabido que as visões , a menos que sejamos políticos , precisam de em devido tempo ser postas no papel e ter as contas feitas  se pretendemos que se concretizem . Sabendo perto de zero sobre construção e não tendo dinheiro para entregar a visão a um arquitecto e a execução a um construtor , fui inventando à medida que ia fazendo como podia , aprendendo à minha custa e sempre adaptando o “projecto” , e isto foi de uma ineficiência terrível , no fim de contas gastava o mesmo e terminava em metade do tempo  se as coisas tivessem sido bem feitas. 

O sítio só é acessível de carro quando os 50 metros que o separam da estrada não estão cheios de vacas , de lama , ou dos dois , e isso faz com que por mais de metade do ano não tenha acesso sem ser a pé , por uma canada de um metro e pouco de largura onde passa um carro de mão , que aqui se chama carroça de mão. Se a altura em que preciso de cimento, por exemplo , coincide com as vacas e/ou lama , tenho que o levar pela canada , tal como a areia , blocos e tudo o resto . Isto é medieval , sei bem que até ao meio do século passado esta ilha foi construída a acartar pedras e outros materiais desta maneira mas se tolero bem certos anacronismos , este custa-me . Há muitas coisas que vale a pena fazer “à moda antiga” , construir ou re construir casas não é uma delas.

 A meteorologia manda sempre , e trabalhar na rua ao vento frio , à chuva e na lama não dá . Como são as condições que prevalecem , é preciso ter sorte ( ou planear as obras só para os meses de Verão) para ter uma série de dias bons em que todos os outros factores também estejam resolvidos e presentes , o que não é nada fácil. Estamos a 3 de Maio , ontem foi o primeiro dia sem chuva desde há uns meses bons mas hoje tornou a chover , amanhã vai chover , a Primavera não se mostra e começo achar que mais uma vez o meu prazo vai ser prolongado.

Os materiais de construção são um mundo em si , e navegar nesse mundo pressupõe um certo conhecimento , tipo saber que são precisos vários tipos de areia para diferentes operações . Já acabou por duas vezes o cimento , não tendo a quem pedir emprestado tive que esperar pelo navio . Se por exemplo tivesse feito as contas à madeira que ia precisar e conseguido comprar  tudo de uma vez em S.Miguel tinha  poupado centenas de euros e meses .Depois ,as ferramentas , que fui comprando aos poucos e ao longo do tempo houve coisas mal feitas ou por fazer por falta de ferramentas e equipamento. Uma listinha com tudo o que é preciso , comprada de uma vez antes de começar a trabalhar , nunca me ocorreu.

 A mão de obra , já vou em 8 pessoas diferentes que lá trabalharam , três deles pedreiros profissionais , os outros amigos e conhecidos que sabem umas coisas e já foram ou são serventes . Este pessoal trabalha à hora , consoante a disponibilidade deles , o tempo , a existência de materiais e a existência de dinheiro para lhes pagar. Não trabalham muitas vezes , ou têm outros serviços, ou faltam-me materiais , ou está mau tempo ou não tenho dinheiro , tem sido raro e é aos arranques . Há dois anos no Verão  o meu Pai veio cá ,  pude realizar um sonho que tinha desde que comprei esta terra , que era passar aqui tempo com ele a construir a minha casa. Foi excelente , foi um zénite da nossa  relação  e adoro o facto de as paredes da minha cozinha e casa de banho terem sido levantadas pelo meu Pai . Sucede que ele  dispensou o uso de níveis , fios de prumo e linhas em esquadria , pelo que aquilo ficou um bocado idiosincrático e já causou muitos sorrisos e coçar de cabeça aos pedreiros que vão fazendo os acabamentos nessa parte e já me ensinou imenso sobre a importância das coisas em esquadria e de planear as divisões todas ao mesmo tempo .
Da minha parte , não tenho jeitinho nenhum para trabalhos manuais , e juntando a isto os pulmões fracos  , nunca conseguiria ganhar a vida na construção civil . Quando tenho esse pessoal limito-me a ajudá-los como posso . Ás vezes aventuro-me a fazer coisas sozinho e farto-me de rir da minha inabilidade e dos resultados , o último empreendimento é a casota para o Rofe , estou a pôr em prática o que aprendi , vamos lá ver como sai ,  pelo menos o inquilino não se vai queixar, e depois também não é para ser a casa dele sempre, é só para quando eu saio da ilha.
E é ao ritmo destas condições e variáveis que a obra avança.Na semana passada foi aberto o buraco para a fossa séptica. A visão original incluía um WC seco , sistema muito mais simples , mas a dada altura percebi que  já não compro facilmente argumentos ecológicos e que há certos limites nisto da vida simples , que parecendo que não um autoclismo é uma grande invenção da qual é imbecil prescindir , podendo ter um , e é um conforto que merece bem o investimento. Por isso as canalizações , em vez de serem pensadas e feitas na mesma altura que as fundações , estão a ser feitas agora . Há muitas ocasiões em que a minha obra me lembra certas obras do Estado , como o alcatroar de estadas para depois as rebentar para pôr esgotos. Vou sair no fim deste mês e volto  no princípio de Julho , esteja em que estado esteja vou para lá viver , nem que tenha que acampar umas semanas.
A  foto da esquerda é  do sitio tal como o comprei, a da direita é no Verão passado.Vai andando , devagarinho mas andando.












1 comentário:

Isa disse...

:) força, rapaiz. e olha, se te serve de consolo, o melhor conhecimento é o empírico ;)
Bjo